Boas vistas

segunda-feira, 26 de março de 2012

MALTA- Macêdo de Cavaleiros.

É algo quase incongruente e impossível encontrar esta aldeia, perdida numa serra do nordeste transmontano, a Serra de Bornes, com um nome como o de MALTA, com associações lendárias aos Cavaleiros da Ordem de Malta e que tenha uma igreja, pequena, é certo, mas única na sua arquitectura. Quem vê fica espantado.
E só mesmo um transmontano nordestino será capaz de nos traduzir um pouco da mística emanada por tal local:


MALTA

Recatada numa dobra
da serra desabrida
como a pérola na ostra se contém.

Mas o bivalve, acautelado,
esconde e acalenta
o seu tesouro,
enquanto a serra o revela.

Basta para isso termos o olhar
fito nas vagas
além das névoas, da neve,
dos soutos, das giestas e das fragas.

A. M. PIRES CABRAL, Antes que o Rio Seque. Assírio e Alvim. Lisboa. 2006. P:246-247.



Este outro natural de Malta, cuja graça é Francisco António Carneiro, (por outros motivos notícia de jornal local)  tem um ar de pureza e palavras sábias. Retira o chapéu para a fotografia e diz que o tempo vai como as pessoas do mundo: irado, desavindo, onde nem irmãos se dão bem, com ódios e invejas. Esta é a razão da seca que graça em todo o Portugal e que aqui, é bem mais sentida que nas cidades.




Já se rezou aos santos mais milagreiros que, esses, só saem dos seus nichos em alturas de grande aflição, como a seca que estamos a viver.


Exterior.

 Sarcófago. à frente na base,  forma zoomórfica.

Púlpito virado para o exterior, onde, na festa, se faz o sermão.


A forma zoomórfica.


Várias do interior:

De notar que este é o altar virado a sul, mais utilizado no dia a dia. Virado a oeste, em ângulo de 90º, neste igreja pequena (porquê 2 altares em V?), o outro altar da foto seguinte, onde está o padroeiro pousado no chão, ainda sobre um andor:


Divino senhor Santo Cristo.


Pormenor do tecto.


Os dois altares
 Talvez sejam estas as 5 tábuas quinhentistas com a Nossa Senhora, o cristo Ressuscitado, S. Cristóvão, S. Miguel e S, João Baptista, no altar da foto de cima.




Uma forma curiosa de rezar...




 Pormenor do exterior.


 Esta será uma terra para maiores e melhores prospecções.



 MALTA

visito Malta   essoutra ilha   não
no Mediterrâneo   aqui em Trás-os-Montes
concelho de Macedo   ilha entre ilhas
comovente retirada casta e brava

visito Malta   ilha a Nordeste
pendente algures dum contraforte claro
desta serra a Nordeste

em Malta   a comovente    vejo cabras
como em rebanhos de velho testamento
roendo cardos os mesmos de há milénios

visito Malta   a bíblica   a ilha
entre ilhas   na serra enternecida
não sei se Malta é   se foi   ou há-de ser


A. M. PIRES CABRAL, Antes que o Rio Seque. Assírio e Alvim. Lisboa. 2006. P:39-40.

3 comentários:

  1. ESTIVE LA EM MAIO E E REALMENTE ESPANTOSO VER QUE BELEZA É AQUELA IGREJA
    PORTUGAL TORRÃO NATAL

    ResponderEliminar
  2. Meu pai nasceu e cresceu lá antes de vir para o Brasil e conhecer a minha mãe lá, pra depois se casarem e terem o meu irmão e eu! E tenho orgulho do meu pai e sempre tive oportunidades de conhecer o lugar a onde meu pai nasceu! E tbm conheço o lugar a onde a minha mãe nasceu tbm que eh Valadares - Vila Nova De Gaia!! E por isso que eu e o meu irmão temos orgulho de ser meio Brasileiro e meio Portugueses tbm! Isso faz da gnt ter a dupla cidadania tbm! Hehehe! Amo Portugal e em breve vou estar aí em Portugal lógico! Já na terra do meu pai eu já não sei! Hehehehe!! Bjos e eh nóis!! ;-P

    ResponderEliminar